CLICK HERE FOR BLOGGER TEMPLATES AND MYSPACE LAYOUTS »

terça-feira, 25 de Março de 2008

Páscoa



O coelho atarefado


Chegou a Páscoa, o coelho Achocolatado estava muito atarefado na sua fábrica “Chocoovo”.
Os seus ajudantes nunca mais chegavam. De repente viram o portal de “Chocoovo” a abrir-se, era impossível! Lá dentro viam-se penas azuis, patas vermelhas, um bico castanho e uma crista cor-de-rosa, era uma galinha raríssima que já não se via há cem milhões de anos.
Achocolatado, como estava muito atarefado, aproveitou e foi logo para junto da galinha e perguntou-lhe:
- Ó galinha raríssima, queres trabalhar na minha oficina?
- Có, có, ró, sim, có, có, ró, sim – respondeu ela.
Como ela punha ovos de chocolate era mais fácil para o coelho trabalhar.
Quando acabavam de fazer os ovos metiam dentro um brinquedo e embrulhavam.
E foram companheiros para sempre!!

Mafalda e Maria João
4.º J

Paz
Amizade
Solidariedade
Comunhão
Ordem
Amor

Américo e Bruno
4.º J


Acróstico

Portugal Continental é um local que não faz mal.
Árvores preservar para o Mundo ajudar.
Senhor coelhinho traz-me um ovinho.
Carnaval já aconteceu e a Páscoa o sucedeu.
Ovos com cobertura são uma grande doçura.
A Páscoa está a chegar, vai ser uma festa de “bombar”.

André, Ernesto e Marcelo
4.º J

Páscoa

Páscoa tempo de Inverno
Tempo de Verão.
Chegou o coelhinho
Que é comilão.
Porque Deus assim quis
Eu comia ovos da Páscoa
E ele ficava Feliz!

Tiago David
4.º J

Páscoa


Páscoa feliz para todo o Mundo!
As pessoas dão amêndoas e ovos para saborear.
Sininhos a tocar, a alegria está no ar!!!
Crianças vão ver foguetes coloridos e garridos.
Os pássaros vão cantar ouvindo os sinos a tocar.
A todos desejamos uma Páscoa de encantar!!!

Mafalda e Maria João
4.º J

Páscoa


Pôr os ovos o coelho vai fazer´

Às escondidas ele vai jogar
Se o menino os encontrar
Coelhinho irá saltar
Orelhas grandes e nariz fininho
A sua mãe o vai acariciar.

João Miguel e Henrique
4.º J

Primavera












Dia do Pai






Desafio

Na passada sexta-feira, 14 de Março, os alunos do 4.º ano da EB1 de Esposende foram ao Monte de Faro, em Palmeira de Faro, para comemorar o Dia Mundial da Floresta e Dia da Árvore, participando numa reflorestação simbólica promovida pela escola em colaboração com a Câmara Municipal de Esposende.
Desafiamos todos os alunos que participaram nesta actividade a fazer um texto sobre a mesma para publicar no blogue “Pequenos Criadores”.
Os textos devem ser enviados por e-mail para:
Prof. Elisabete Abreu:
me.abreu@gmail.com
Prof. Ermelinda Manuel:
ermelindamf@portugalmail.com
Participa, contamos com a tua criatividade!










quarta-feira, 12 de Março de 2008

Lê bem, pensa e resolve















O Sr. Timóteo tem apenas duas medidas para medir o leite: uma de 3 litros e uma de 5 litros.
A senhora Graça queria apenas 1 litro.
Como fazia o Sr. Timóteo para pesar?


2-




Um tijolo pesa um quilo e meio tijolo

Quantos quilos pesam dois tijolos?

sexta-feira, 7 de Março de 2008

PENSA E RESPONDE



O senhor e a senhora Silva têm seis filhas e cada filha tem um irmão.

Quantas pessoas constituem a família Silva?

*************************************************************

O médico deu ao seu paciente 3 comprimidos para tomar um de meia em meia hora.

Quanto tempo se passa até que tome o último comprimido?

quinta-feira, 6 de Março de 2008

Um bom desafio

A EB1 de Esposende aceitou o desafio da professora Ana Tavares, do Colégio da Gandarinha, para um intercâmbio de trabalhos e conhecimentos entre alunos do 4.º ano de escolaridade. Assim, enviou-nos o início de um conto que os seus alunos elaboraram para nós lhe darmos uma conclusão. Esta actividade estendeu-se às três turma do 4.º ano da nossa escola que participaram com muito entusiasmo. Aqui está o resultado do nosso trabalho.

Um amigo diferente

Era uma vez uma menina chamada Lara. Mas esta menina não era como as outras. Enquanto elas brincavam com as borboletas de todas as cores, a Lara ficava a olhar de longe.
Um dia, tentou aproximar-se de uma borboleta mas ela fugiu.
- Ninguém quer ser minha amiga! - disse a Lara a chorar.
Então, correu para a floresta porque não queria ver ninguém.
A noite chegou mas ela tinha corrido tanto que não encontrava o caminho de volta.
De repente, lá ao fundo, avistou uma luz estranha. Intrigada avançou sorrateiramente até ao arbusto de onde saía aquela luz lilás florescente. Ao espreitar, viu que era apenas um ovo.
- Pelo menos tu não vais fugir de mim como aquela borboleta. Vou cuidar de ti e vamos ser amigos. Mas… como é que tu serás? Não interessa, de certeza que vou gostar de ti.
Mas, mal acabou de dizer estas palavras, ouviu um barulho estaladiço. De dentro do ovo saíram duas pernitas que se puseram logo a abanar. Mal tocaram no chão, foi ver o ovo a andar por todos os lados e a bater em tudo o que aparecia. Foi então que o ovo bateu contra uma enorme árvore.
Crash!
O resto do ovo partiu e de lá saiu um pequeno monstrinho muito brilhante e irrequieto, que se pôs em fuga.
A Lara, que o achou muito bonito porque era diferente de tudo o que tinha visto até então, correu atrás dele. Não queria perder a oportunidade de ter um amigo assim!

Colégio da Gandarinha
Alunos do 4.º ano


Um amigo diferente
(continuação)

Seguiu-o com todas as forças que tinha até que o alcançou. Apesar de cansada, Lara aproximou-se delicadamente para não o assustar.
O monstrinho era lilás, com bolinhas verdes florescentes e tinha patinhas cor-de-rosa. A menina pegou cuidadosamente nele ao colo para o acariciar e tentou levá-lo para casa mas não sabia o caminho de volta.
De repente, o monstrinho disse:
- Eu sei o caminho para tua casa.
- Tu falas?! – Perguntou Lara muito admirada.
- Sim falo, e como vês tu consegues entender-me.
Mas, como já era tarde, já estava a escurecer e a lua a acordar, Lara e o monstrinho decidiram acampar na floresta. Só havia um problema: não tinham tenda.
O monstrinho, como tinha dentes de castor, disse:
- Eu posso ajudar. Eu consigo roer a casca dos troncos para fazer uma casa.
E assim fez. Com as cascas das árvores, folhas e ramos, construíram uma bela casa!
Quando terminaram estavam cansados e esfomeados, até tinham a barriga a “roncar”!
O monstrinho, como tinha uma cauda de ornitorrinco, bateu com a cauda no chão, deu um salto enorme e bateu contra os ramos das árvores de onde caíram vários frutos, como por exemplo nozes, castanhas e bolotas.
Como tinham frio recolheram paus e o monstrinho fez uma fogueira rodeada de pedras para não provocar um incêndio.
Depois de comerem, adormeceram e tiveram belos sonhos.
De manhã, quando o sol os beijou na face, acordaram e regressaram a casa da menina. Os pais estavam desesperados de preocupação, pois passaram a noite sem saber da sua querida filha.
Lara contou-lhes a sua aventura e a preciosa ajuda do seu novo amigo. Pediu aos pais para ficar com o monstrinho. Eles aceitaram e, os três em conjunto, decidiram chamar-lhe Rinco.
Assim Lara arranjou um amigo especial.

4.º J


Um amigo diferente
(continuação)

A menina, logo que apanhou o monstrinho, aconchegou-o nos seus braços e decidiu dar-lhe o nome de Dentinho.
Dentinho era amarelo e tinha lindos e brilhantes olhos azuis.
Lara resolveu procurar o caminho para sua casa mas, como já era noite, tropeçou numa pedra e caiu num buraco frio e escuro. Ao cair ela abriu os braços e Dentinho bateu as asas e voou pela primeira vez.
Como já era muito tarde, Lara estava bastante cansada e acabou por adormecer como um bebé. O monstrinho desorientado acabou por cair no mesmo buraco onde Lara se encontrava.
Ao amanhecer, Lara acordou e viu Dentinho com uma asa ferida. Então pensou:
- Tenho que levar o Dentinho ao veterinário.
Começou a pedir socorro e um caçador que por ali passava, ao ouvir os gritos, correu e conseguiu tirá-la do buraco. O caçador ajudou Lara a encontrar o caminho para casa.
A família da menina andava aflita à procura dela e, quando a viu chegar com o caçador, ficou felicíssima.
Nesse momento, Lara percebeu que afinal tinha grandes e bons amigos. Agora tinha dois novos amigos: o caçador que a salvou e o Dentinho.
Lara contou a história aos pais e eles decidiram ficar com o monstrinho. Levaram-no ao veterinário e ele ficou curado.

4.º L


Um amigo diferente
(continuação)

Correu, correu, correu, e cansada escorregou e caiu.
O pequeno monstrinho, apercebeu-se e aproximou-se de Lara.
- Precisas de ajuda? – perguntou com receio.
-Preciso da tua companhia…-respondeu Lara.
Aos poucos, Lara levantou-se e os dois procuraram o caminho de regresso a casa. Lara pegou no monstrinho e aconchegou-o com carinho. Mais tarde avistaram uma linda casinha de madeira. Entraram, deitaram-se e adormeceram num sono profundo.
Amanheceu, espreguiçaram-se felizes e continuaram o seu caminho. Sem se aperceberem, chegaram a casa de Lara.
-Cheguei, esta é a minha casa. – disse Lara.
- Não me vais deixar ficar sozinho, pois não? –perguntou o monstrinho muito aflito.
-Claro que não. Queres viver comigo?
-Sim, seremos para sempre amigos.
E assim, Lara encontrou um amigo, um amigo diferente… mas um amigo de verdade que jamais a abandonou…

4º K

Os salvadores

Lá alto, bem no alto do monte, vive Carlos, o salvador do Mundo. Ele salva quem precisa de ajuda.
Numa bela manhã de sol escaldante, Carlos levantou-se, tinha uma missão para cumprir.
A missão que Carlos tinha era: espiar o seu inimigo Tiago para saber o que ele dizia acerca dos seus salvamentos. E lá foi ele voando com a sua mota voadora.
Passados uns minutos viu uma casa aos elefantes. Carlos não sabia onde estava e então decidiu procurar no seu dicionário GPS onde estava.
A casa dos elefantes era mesmo a do seu inimigo.
Então espreitou pela janela estrelada mas não viu nada. Depois experimentou pôr-se em cima de um banco e viu o Tiago a tomar banho. Ele só falava que Carlos dizia que era o melhor do mundo.
Então Carlos decidiu tocar na campainha em forma de fogo. Tiago abriu a porta e perguntou ao seu inimigo se queria salvar o mundo com ele.
Tiago agradeceu o convite e lá foram os dois novos amigos salvar o mundo!
Assim, Carlos nunca mais espiou Tiago, o seu novo amigo!!!

Mafalda Torres
4.º J